18 de abr de 2015

Um amor ou uma vida inteira?

Sobre como uma menina decidiu continuar.

Ela gosta de usar a terceira pessoa. Nunca admite ser quem ela é. Um dos seus maiores defeitos é não saber quando parar de se apaixonar. Se apaixona por tudo, momentaneamente. É muito superficial, assim como tudo em sua vida. Ela nasceu na meia dúzia, no meio do ano e no meio do mês. Sua casa se localiza no meu do quarteirão. Ela meio uma pessoa e meio outra. Mas não deixa e não gosta que falem disso para ela. É só ela. 
Desde de pequena sonhou com o seu "grande"amor. Agora, concluiu que não precisa ser tão grande assim. Na fala não fala o que pensa, mas nas palavras diz tudo aquilo o que a representa. Não, seu amor ainda não veio. Talvez venha muito, muito devagar. Talvez venha de longe, segundo seu horóscopo. Já foi mais paranoica. Agora só é ela. Quase sem restrições. Se não fosse os "quases". Um texto nunca vai ser suficiente. Um amor de paraquedas também não. Deseja um amor a longo prazo. Que seja intenso na medida certa. Um amor que não tire a sua vida dos trilhos. Um amor que fique. Um amor que seja sua vida. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário